top of page
  • Writer's pictureVictor Hugo Germano

Respondendo perguntas sobre Empreender nos dias de Hoje

Um amigo me procurou, ao saber de minha saída da Lambda3, para para fazer algumas perguntas bastante pertinentes sobre a minha experiência, e também sobre a possibilidade dele mesmo seguir o caminho de abrir empresa. Resolvi transformar meu email num post, para aproveitar minhas respostas e quem sabe ajudar outras pessoas no mesmo momento de vida. Vou mantê-lo anônimo por enquanto, porque logo mais ele vai anunciar a empresa própria :]


Como já mentorei alguns empresários, já montei, cresci e vendi uma empresa, posso dar alguns pitacos. Mas um disclaimer: essa é a minha experiência, que é regada de muito stress, decepção e dois burnouts diagnosticados. Além disso, utilize minha opinião com cautela, pois apesar de ter tido uma boa experiência no processo de venda da Lambda3, não é a realidade de muitos empresários. Trabalhamos muito pra viabilizar a empresa, mas também tivemos muita sorte e conseguimos vender. A maior parte dos empresários não chega nesse ponto.


Empreender é uma jornada de muita dúvida, stress e solidão. Não caia no conto de influencer que vende curso dizendo que vai ser uma experiência incrível. Esteja bem ciente que o caminho é muito tortuoso.

Também quero fazer um aviso: minha jornada e relativo sucesso são a exceção. No meu trabalho de mentoria de startups o que mais vi foram empresários passando por muitas dificuldades e a grande maioria com crises de ansiedade e depressão. A minha foto nesse post representa isso: eu, em meio ao meu segundo burnout, para uma edição da revista Exame, fotógrafo Germano Lurdes.


Este não é um texto de coach “se você se esforçar vai dar certo” - isso é uma mentira que quem vende curso e livro de empreendedorismo quer que você acredite. Eu empreendi por que acreditava cegamente que poderia criar uma empresa com os valores e princípios que sempre defendi. Empreendi porque era a única saída pra me manter na tecnologia.


Não existe meritocracia no empreendedorismo. Ainda seu mérito pessoal seja válido, mais sangue e suor não são garantia de mais sucesso pra sua empresa. Todo o trabalho é de influência, contatos e políticas. A maior parte das negociações comerciais se dá através do relacionamento e indicação, e não da capacidade do seu produto/serviço. O acesso a capital de investimento, em sua maioria, também. Caindo a ficha sobre essa realidade, é realmente possível construir algo duradouro, sem acreditar que você será o próximo Zukerberg.


## Se você fosse montar uma nova Lambda3 hoje, o que faria diferente e o que faria igual?


Estou num momento de descanso e confesso que sem muita energia para pensar em montar outra empresa (ainda que tenha várias idéias a respeito). Mas consigo elucubrar sobre como seria essa possibilidade.


Como empresário de primeira viagem, muita coisa eu aprendi batendo cabeça. Por não ter ninguém na familia que fosse empresário, ou mentores durante a minha carreira, meus guias sempre foram livros e os pares que também estavam tentando fazer a empresa acontecer. Isso, em muitos aspectos, atrasou a evolução da empresa, ainda que tenha sido totalmente importante para meu amadurecimento pessoal.


O que faria diferente?

  • Políticas mais claras o mais cedo possível. Por muito tempo fizemos ações através do conhecimento coletivo e acordos informais na organização, e a medida que a empresa cresce, esses acordos precisam ser explicitados em políticas. Demoramos mais do que o necessário, e mudaria isso.

  • Não colocaria minha Saúde Física e Mental em tanto risco. Foram alguns erros que tentaria evitar. Demorei muito tempo para buscar apoio especializado para lidar com a frustração e o peso emocional de construir uma empresa. Iniciei terapia somente em 2018, durante o meu segundo burnout. Na escolha de priorizar a empresa, ou minha saúde, por vezes escolhi a primeira, e isso gerou uma dívida alta que levei muito tempo para entender. Essa é uma luta errada contra moinhos de vento.

  • Buscaria ajuda mais cedo em diversas frentes, mesmo com o impacto financeiro de crescer meeu time interno. Foi particularmente difícil tocar todas as questões de Gestão de pessoas, gestão financeira e gestão comercial individualmente, sem especialistas internos até termos umas 50 pessoas. Como muitos na área de TI, caímos na arrogância de acreditar que basta conhecer de programação, para ter o suficiente para tocar um negócio, e que outras especialidades são desnecessárias. Aprendi que isso era vaidade e arrogância, e que não vale a economia momentânea financeira que você pode ter.

  • Melhores acordos societários desde de o início da empresa. Aprendemos apanhando.


O que faria igual?

  • Cultura e propósito como marcos de gestão. Eu sigo acreditando em um modelo de gestão de alta colaboração, transparência e autonomia, e provavelmente seguiria nos mesmos princípios, ainda que as práticas provavelmente mudassem para suprir a demanda moderna de colaboração, comunidade, maestria e propósito.

  • Foco em Maestria. Sempre fui alta costura, jamais me renderei ao fast fashion!💃

  • Iniciaria sem investidores novamente, ou o máximo de tempo que pudesse antes de pedir suporte e apoio financeiro. Existem modelos que são inviáveis com essa decisão, mas sou tranquilo com isso. Investidores de início reduzem o risco mas trazem um custo de coordenação gigantesco, que pode tirar o foco do negócio. Mas com certeza teria mentores para o negócio, especialistas no mercado.

  • Teria sócios, para dividir a carga do trabalho. Continuo a favor de dividir um bolo grande, do que comer uma empadinha sozinho.

## Como encontrar bons sócios?



Polêmica... Você não precisa de amigos como sócios, mas eventualmente seus sócios podem se tornar seus amigos, mas não são condições excludentes. Primeiro de tudo, entenda que Sociedade não é um casamento (esquece essa metáfora, é muito ruim), mas é um compromisso de longo prazo que depende da sua capacidade de trabalhar junto. Entenda: a maior probabilidade é que não dê certo em múltiplas tentativas.


Busque pessoas que sejam complementares a você, e de preferência resolvam as suas deficiências. Tive a sorte, com a lambda3, de ter 2 sócios bastante complementares. Enquanto eu estava focado em estratégia, marketing e vendas, o Cavalcante estava focado na operação e práticas, e o Giovanni estava no financeiro e liderança técnica. Se além disso, as pessoas sejam ótimas para se conviver, melhor ainda.


Se não for possível essa sinergia, busque rapidamente especialistas para funções que vocês não se sentem capazes. Trate isso como um projeto. Não é como achar um parceiro/parceira pra vida.


Nem todo amigo será um bom sócio, e algumas vezes a intimidade é uma merda - nunca trate esse relacionamento como uma família. O negócio é trabalho. Se você, como eu, tem em seus sócios, amigos, melhor ainda.


Busque complementariedade de ações, alinhamento de valores e deixe claro os objetivos da parceria.


Defina o que não será aceito de cara. Melhor demorar na entrada, do que passar anos na merda. Nós tivemos alguns desafios com sócios, e outros que apesar de não ter dado certo, a transição foi pacífica, aprendizado dos anteriores. Por não termos alinhado quais as regras importantes de saída desde o início da empresa, sofremos um bocado até acertar as pontas.


Defina claramente quais são as regras de entrada na sociedade, e tenha muito mais atenção nas regras de saída - nunca deixe essas questões em aberto, por mais difícil que seja conversar sobre o que pode dar errado logo no início do trabalho.


Não existem regras de encontrar bons sócios - esse também é um processo interativo e incremental, que demanda melhoria contínua. E existem estratégias pra fazer isso sem que vocês tenham que se comprometer num contrato social imediato. Sou a favor de períodos de experiência acordados com opções de compra de sociedade. Me parece um processo maduro.


## Onde é um lugar para achar parceiros com viés comercial?


Estou assumindo que aqui não seja sobre encontrar sócios, mas parceiros que tragam o viés comercial para a empresa. Pra isso, é importante entender que "viés comercial" é uma competência técnica que pode ser construída em uma vida dedicada ao trabalho comercial, vendas, consultoria, etc.


Assim, eu vejo vários locais para encontrar

  • Comunidade profissional

  • Grupos de outras pessoas buscando empreender

  • Indicação de amigos

  • Afinidade de eventos e tudo mais

  • Especialistas na área

  • Grupos de empresários, redes de relacionamento (Como Open Mind Brazil, que faço parte)


## Existe algum curso ou lugar que eu possa desenvolver um pouco skills de comercial?


Não me considero um especialista em vendas. Na verdade eu sou especialista fanático por tecnologia, e essa paixão é contagiante que pode fazer as pessoas quererem trabalhar comigo. Mas posso dizer:


  • Aprendi na marra, foi uma merda. Correria vida loca me ensinou a trabalhar em vendas, sem conhecimento mas cheio de boleto pra pagar, seja vendendo seguros de vida de porta em porta, no bar em balada, passando cabo de ethernet em evento ou vendendo projetos de software. Essas experiências foram todas metendo a cara pra tentar, que eu acho que é o que você poderia fazer. Se joga!

  • Tem coisa que só tentando pra aprender - pode perder o medo de errar, e entender que comercial é trabalhar com a frustração o máximo possível. São muitas horas desperdiçadas tentando viabilizar uma venda. Perdi a conta da quantidade de vezes que perdemos dezenas de horas pra jogar uma proposta incrível fora que não foi aceita

  • Está cheio de curso e livro online ensinado o processo de venda, trate isso como uma skill nova que você vai ter que aprender. É preciso estar disposto a sair do seu eixo, pra atuar no comercial

  • Como tudo na internet, tem alguns encontros e comunidades de venda. Além disso, vale conhecer mais sobre Solution Selling como uma metodologia de vendas

Em muitos aspectos eu sigo o caminho do Dan Pink: Todos nós trabalhamos em vendas!




## Se fosse montar uma empresa de tech hoje tem algum mercado que estaria de olho para especializar?


Esta parte é totalmente especulação, e de certa forma estou restrito para discutir mais abertamente meu direcionamento, mas consigo dar alguns pitacos.


Eu me interesso por tech no geral, qualquer mercado é mercado! Melhor forma é alinhar os seus interesses com o mercado que vc vai atuar, pq se for um mercado que vc odeia, vai ter problemas pra manter o foco. O que em tecnologia te encanta? Existe algum tipo de conexão entre essa tecnologia e o mundo de negócios? Quem está atuando nesse mercado? Como esses atores interagem entre si?


Pessoalmente, eu tenho alguns mercados e ações dentro do mundo de TI que dificilmente trabalharia (por gosto pessoal e alinhamento de valores). Mas isso diz mais sobre mim do que sobre o mercado. Eu acredito que existe gente apaixonada na tecnologia pra todo tipo de serviço, e precisamos apenas encaixar os dois.


Tenho bastante interesse em produtos digitais e novas tecnologias, além de inovação de maneira geral em TI… já estamos vendo uma corrida do ouro para o uso de inteligência artificial e ferramentas generativas, obviamente ampliando a demanda real de upskilling de profissionais, e crescendo o olho de investidores. 99% dessas iniciativas vão morrer, mas é importante estar atento a quem sobra no mercado.


Mercados novos estão sendo criados dentro dessa convergência digital em que agentes autônomos, multi modal AI, generativa, conectividade embarcada e plataformas de aceleração low code se unem para viabilizar novos produtos. Estarmos alertas a esse momento é uma ótima oportunidade de talvez criar a sua próxima empresa.


## O que você pensa sobre ética de atuação? com as plataformas de Bet sendo possivelmente legalizadas, um grande e complexo mercado de tech se "cria" junto, o que acha sobre a ética de trabalhar nesse tipo de mercado?


Não existe capitalismo ético, existe nossa tolerância dentro do capitalismo. Essa sempre vai ser uma escolha pessoal. Nesse post não é minha intenção trazer questões sobre consumismo, o poder do capital e seu relacionamento paradoxical entre a liberdade propagandeada e a exploração realizada. Sugiro o link citado acima como uma forma de ampliar o tema.


Já conversamos muito na Lambda3 sobre que tipo de clientes atuaríamos ou não. Alguns exemplos são difíceis de serem abordados, principalmente sob a ótica do que seria ético para a organização que é composta por indivíduos com as mais diferentes opiniões:

  • JCB é uma empresa que constrói escavadeiras sendo usadas na massacre na Palestina, você trabalharia para essa empresa? E se você fosse libanês, essa decisão mudaria?

  • A Zara há anos possuí acusações de trabalho análogo à escravidão, inclusive no Brasil. Seria possível escrever software para essa empresa? Como seria estar alocada num projeto para a Sara? Venderíamos projetos pra empresa?

  • Amazon sabidamente possui condições terríveis de trabalho para seus funcionários em centros de distribuição pelo mundo. Isso impede você de comprar na black Friday? Faz com que você não use AWS para hospedar seu site?

Esse são só alguns exemplos, que exemplificam essa situação para além da simplificação das discussões de twitter.


Sites de aposta, cassinos online, money games, pornografia e bélica são indústrias bastante controversas, e de maneira geral, moralmente questionáveis por muita gente. Além disso, essas indústrias exploram em muitos aspectos o vício, a solidão e o desejo das pessoas. Isso vai da sua própria racionalização.


Eu me afasto desses mercados (serei um velho careta?). Apesar de que, em muitos aspectos, trabalhar no mercado financeiro é tao ruim eticamente quanto! Será essa a hipocrisia do empreendedor?


Você precisa estar bem com a situação de empreender em mercados polêmicos. No fim essa decisão é individual, independente da minha opinião e julgamento.


Como resolvemos questões de trabalhar para uma grande empresa de cigarros: a empresa topa trabalhar com esse cliente, mas qualquer pessoa alocada pode optar em não atuar nesse projeto, como uma escolha pessoal, e será imediatamente trocada, sem qualquer prejuízo para ela.


Discutir sobre o impacto ético, e qual atuação seguir quanto se tem uma situação em mãos é o melhor caminho pra mim.


## Começar com grana própria ou focar em busca de investimento?


Bootstrap próprio é bom, mas é uma merda. Investidor é uma merda, mas é bom!

Apostar com o dinheiro dos outros é sempre melhor do que com o seu, disso não tenho dúvidas. Mas o custo pode ser alto para a empresa e para você. Sou favorável a começar pequeno, experimentar um modelo de negócios que pelo menos se mostre viável e tentar, com as próprias pernas, crescer.


Nenhum investidor acreditar na sua ideia tanto quanto você. Ele sempre acredita no dinheiro, e provavelmente tem uma visão no curto prazo de recuperação do investimento.


Entendo que, quando não se tem reservas, ou quando a possibilidade de seguir montando sua empresa enquanto trabalha numa empresa full time é mínima, o dinheiro de investimento pode ser a força necessária pra se movimentar.


## Tem mais alguma dica ou comentário para quem está para se aventurar nesse mundo de empreendedorismo?


Talvez esta seja a sessão mais importante para desse texto. Então lá vai.

  • Esteja pronto para a frustração e solidão, e tenha uma rede de apoio. É MUITO DIFICIL, e acredito que falamos muito pouco sobre o impacto emocional de empreender. Só contamos as histórias bonitas de enriquecimento e vitória no linkedin. Mas o caminho é muito mais de noites em claro, ansiedade monstro, abusos e derrotas.

  • Seu maior desafio será lidar com a cobrança interna. Se compare a você mesmo, nunca com às outras pessoas. No linkedin e eventos de startup todo mundo se diz bem sucedido, sem ter nenhum número real pra mostrar - no fundo, quase ninguém sabe o que está fazendo.

  • Ás vezes a melhor decisão é mudar o foco. A sua saúde vale mais que qualquer sucesso ou fracasso na empresa, coloque você na frente em todas as situações. Não acredite que a empresa vale o sacrifício da sua vida

  • Esse é uma jornada solitária e ingrata, e as possibilidades de sucesso são minimas. Não subestime o impacto dessa decisão na sua vida.

Espero ter ajudado. Se, pode acaso, você resolver empreender, espero que tenha a serenidade e a força para continuar por anos na trajetória.

1,945 views

Recent Posts

See All

Comments


bottom of page